Publicações

Chislene Carvalho dos Santos Pereira Cavalcante ( 304 p.) Este livro é um recorte temporal na primeira metade da década de 1920 que visa compreender como a cidade aparecia da imprensa local, a partir das propagandas com imagens femininas. A pesquisa é um estudo que busca narrar um tempo de conflitos e conciliações em Sobral na remodelação dos corpos e condutas femininas.

Chislene Carvalho dos Santos Pereira Cavalcante ( 304 p.)
Este livro é um recorte temporal na primeira metade da década de 1920 que visa compreender como a cidade aparecia da imprensa local, a partir das propagandas com imagens femininas. A pesquisa é um estudo que busca narrar um tempo de conflitos e conciliações em Sobral na remodelação dos corpos e condutas femininas.

 

F. Dênis Melo (208 p.) Reunindo depoimentos de antigos moradores da cidade sobre o Theatro São João, este livro reúne memórias sobre um equipamento público que, com o passar do tempo, cada vez mais vem se constituindo em símbolo da cidade de Sobral. O resultado pode ser saboreado por estudiosos, pesquisadores e por todos que se interessam pela cultura sobralense.

F. Dênis Melo (208 p.)
Reunindo depoimentos de antigos moradores da cidade sobre o Theatro São João, este livro reúne memórias sobre um equipamento público que, com o passar do tempo, cada vez mais vem se constituindo em símbolo da cidade de Sobral. O resultado pode ser saboreado por estudiosos, pesquisadores e por todos que se interessam pela cultura sobralense.

 

Pe. F. Sadoc de Araújo (1648 p. – 5 volumes) Publicada anteriormente em 1974, a Cronologia estava necessitando voltar à luz, tanto pela raridade em que havia se constituído, após 40 anos de seua primeira edição, como por seu próprio lavor de instrumento de importância basilar para a compreensão de nossa história, da velha Caiçara à Sobral de nosso tempo.

Pe. F. Sadoc de Araújo (1648 p. – 5 volumes)
Publicada anteriormente em 1974, a Cronologia estava necessitando voltar à luz, tanto pela raridade em que havia se constituído, após 40 anos de seua primeira edição, como por seu próprio lavor de instrumento de importância basilar para a compreensão de nossa história, da velha Caiçara à Sobral de nosso tempo.

 

Pe. F. Sadoc de Araújo (1648 p. – 5 volumes) Publicada anteriormente em 1974, a Cronologia estava necessitando voltar à luz, tanto pela raridade em que havia se constituído, após 40 anos de seua primeira edição, como por seu próprio lavor de instrumento de importância basilar para a compreensão de nossa história, da velha Caiçara à Sobral de nosso tempo.

Pe. F. Sadoc de Araújo (1648 p. – 5 volumes)
Publicada anteriormente em 1974, a Cronologia estava necessitando voltar à luz, tanto pela raridade em que havia se constituído, após 40 anos de seua primeira edição, como por seu próprio lavor de instrumento de importância basilar para a compreensão de nossa história, da velha Caiçara à Sobral de nosso tempo.

 

Pe. F. Sadoc de Araújo (1648 p. – 5 volumes) Publicada anteriormente em 1974, a Cronologia estava necessitando voltar à luz, tanto pela raridade em que havia se constituído, após 40 anos de seua primeira edição, como por seu próprio lavor de instrumento de importância basilar para a compreensão de nossa história, da velha Caiçara à Sobral de nosso tempo.

Pe. F. Sadoc de Araújo (1648 p. – 5 volumes)
Publicada anteriormente em 1974, a Cronologia estava necessitando voltar à luz, tanto pela raridade em que havia se constituído, após 40 anos de seua primeira edição, como por seu próprio lavor de instrumento de importância basilar para a compreensão de nossa história, da velha Caiçara à Sobral de nosso tempo.

 

Pe. F. Sadoc de Araújo (1648 p. – 5 volumes) Publicada anteriormente em 1974, a Cronologia estava necessitando voltar à luz, tanto pela raridade em que havia se constituído, após 40 anos de seua primeira edição, como por seu próprio lavor de instrumento de importância basilar para a compreensão de nossa história, da velha Caiçara à Sobral de nosso tempo.

Pe. F. Sadoc de Araújo (1648 p. – 5 volumes)
Publicada anteriormente em 1974, a Cronologia estava necessitando voltar à luz, tanto pela raridade em que havia se constituído, após 40 anos de seua primeira edição, como por seu próprio lavor de instrumento de importância basilar para a compreensão de nossa história, da velha Caiçara à Sobral de nosso tempo.

 

Pe. F. Sadoc de Araújo (1648 p. – 5 volumes) Publicada anteriormente em 1974, a Cronologia estava necessitando voltar à luz, tanto pela raridade em que havia se constituído, após 40 anos de seua primeira edição, como por seu próprio lavor de instrumento de importância basilar para a compreensão de nossa história, da velha Caiçara à Sobral de nosso tempo.

Pe. F. Sadoc de Araújo (1648 p. – 5 volumes)
Publicada anteriormente em 1974, a Cronologia estava necessitando voltar à luz, tanto pela raridade em que havia se constituído, após 40 anos de seua primeira edição, como por seu próprio lavor de instrumento de importância basilar para a compreensão de nossa história, da velha Caiçara à Sobral de nosso tempo.

 

Viviane Prado Bezerra (368 p.) Neste livro se pode ler uma história de combate pela palavra e pelo gesto libertador. Também se pode vislumbrar a riqueza das narrativas sobre os movimentos sociais desenvolvidos em Sobral, entendendo-os para além de alvos da repressão, na sua dimensão sociocultural.

Viviane Prado Bezerra (368 p.)
Neste livro se pode ler uma história de combate pela palavra e pelo gesto libertador. Também se pode vislumbrar a riqueza das narrativas sobre os movimentos sociais desenvolvidos em Sobral, entendendo-os para além de alvos da repressão, na sua dimensão sociocultural.

 

Agenor Soares e Silva Júnior (449 p.) Importante trabalho para a historiografia brasileira, este estudo sobre a história e religiosidade do Ceará é fruto de tese de doutorado defendida pelo autor na Universidade Federal Fluminense, em 2009. Trabalho de extrema relevância pela novidade temática, originalidade de abordagem, propriedade do aparato teórico, destaca-se, ainda, pela pertinência das fontes e atualização bibliográfica

Agenor Soares e Silva Júnior (449 p.)
Importante trabalho para a historiografia brasileira, este estudo sobre a história e religiosidade do Ceará é fruto de tese de doutorado defendida pelo autor na Universidade Federal Fluminense, em 2009. Trabalho de extrema relevância pela novidade temática, originalidade de abordagem, propriedade do aparato teórico, destaca-se, ainda, pela pertinência das fontes e atualização bibliográfica

 

Vários autores – Coordenação Patrícia Veloso (180 p.) Longe de se ater a aspectos apenas formais, este livro apresenta imagens apanhadas a partir de olhares atentos e afetuosos sobre a cidade de Sobral. São imagens de arquivos e colecionadores, que compõem um retrato vivo de vários dos possíveis ângulos pelos quais a cidade pode ser abordada e compreendida: história, tradição, fé, economia, arquitetura e cultura, sem deixar de lançar um olhar para o futuro.

Vários autores – Coordenação Patrícia Veloso (180 p.)
Longe de se ater a aspectos apenas formais, este livro apresenta imagens apanhadas a partir de olhares atentos e afetuosos sobre a cidade de Sobral. São imagens de arquivos e colecionadores, que compõem um retrato vivo de vários dos possíveis ângulos pelos quais a cidade pode ser abordada e compreendida: história, tradição, fé, economia, arquitetura e cultura, sem deixar de lançar um olhar para o futuro.

 

Igor Alves Moreira (185 p.) O presente trabalho dedica-se ao estudo histórico sobre as memórias em torno de Dom Expedito Lopes e Padre Hosana de Siqueira e Silva. Dom Expedito, em 1957, quando era Bispo de Garanhuns – PE foi assassimado pelo Padre Hosana com três tiros de revolver. Perceber, pensar e refletir historicamente como o crime é narrado e sua múltiplas variações, é o objetivo deste livro.

Igor Alves Moreira (185 p.)
O presente trabalho dedica-se ao estudo histórico sobre as memórias em torno de Dom Expedito Lopes e Padre Hosana de Siqueira e Silva. Dom Expedito, em 1957, quando era Bispo de Garanhuns – PE foi assassimado pelo Padre Hosana com três tiros de revolver. Perceber, pensar e refletir historicamente como o crime é narrado e sua múltiplas variações, é o objetivo deste livro.

 

publicacoes ecoa 1 (12)

 

Carlos Augusto P. dos Santos e Alênio Carlos N. Alencar – organizadores (289 p.) A proposta desse livro é reunir alguns trabalhos acadêmicos, artigos realizados a partir das muitas dissertações e teses produzidas por historiadores, cientistas sociais, geógrafos, pedagogos, professores e pesquizadores sobralenses acerca da história da cidade.

Carlos Augusto P. dos Santos e Alênio Carlos N. Alencar – organizadores (289 p.)
A proposta desse livro é reunir alguns trabalhos acadêmicos, artigos realizados a partir das muitas dissertações e teses produzidas por historiadores, cientistas sociais, geógrafos, pedagogos, professores e pesquizadores sobralenses acerca da história da cidade.

 

publicacoes ecoa 1 (14)

Telma Bessa, Allana Araújo (96 p.) A pesquisa deste livro, pautada na história social, proporciona análises das narrativas dos trabalhadores, buscando perceber, interpretar e dar visibilidade aos operários de uma indústria têxtil de Sobral – a Fébrica de Tecidos Ernesto Diocleciano, fundada em 1895, considerando suas memórias, lembranças do cotidiano fabril e outras experiências de suas vidas.